Estamos diante de um momento único, que será definidor de qual futuro vamos escolher para nós, para nossos filhos e as futura gerações, no próximo dia 30/10.

Por isso, nós, integrantes da Coordenação do Observatório Nacional dos Direitos à Água e ao Saneamento (ONDAS), trazemos a público nosso posicionamento sobre as eleições presidenciais, onde manifestamos nosso apoio ao candidato Luiz Inácio Lula da Silva.

O cenário grave exige tomada de posição explícita de todos e todas que acreditam na democracia e nos direitos humanos como valores universais, por isso, em face das sérias ameaças que enfrentamos, afirmamos:

Somos contrários ao esvaziamento do Estado que afeta negativamente toda a população e se expressa, sobretudo, nos processos de privatização;

Defendemos o fortalecimento e a democratização do Estado para promover o desenvolvimento com inclusão e justiça social;

Somos contrários às tentativas de destruição das universidades públicas brasileiras, bem como da pesquisa científica e tecnológica;

Defendemos a valorização da educação e da ampliação do acesso às universidades públicas brasileiras, do desenvolvimento da ciência e da ética como fundamentos das políticas públicas;

Somos contrários à facilitação de comercialização e acesso das pessoas às armas, que promovem a violência, o crescimento de milícias e a intimidação por meio da força;

Defendemos o controle efetivo da comercialização e acesso às armas, do combate à violência, da repressão às milícias armadas.

Somos contrários ao desrespeito a qualquer religião, e às tentativas de intimidação e de coibição de seus ritos sagrados;

Defendemos o Estado laico, a liberdade de credo e o respeito aos crentes de qualquer religião e contra qualquer tentativa de intimidação ou coibição de seus ritos;

Somos contrários à divulgação e ao uso de mentiras e “fake news” como estratégia de manipulação da opinião da população e de difamação daqueles que se opõem aos seus grupos;

Defendemos o direito de acesso à informação de qualidade, promovendo o livre pensar e o direito individual à opinião;

Somos contrários à falta de respeito à vida das pessoas, à monetização da saúde pública, e às políticas que, em nome de razões econômicas, desconsiderem os riscos à saúde coletiva e ao bem-estar dos brasileiros e brasileiras;

Defendemos o fortalecimento e desenvolvimento do SUS–Sistema Único de Saúde e do SUAS-Sistema Único da Assistência Social, da promoção da saúde coletiva e da segurança e soberania alimentar;

Somos contrários às políticas que desrespeitam e oprimem as liberdades individuais, as diferenças de raça e de gênero, e que coíbem a livre expressão de grupos sociais por meio de constrangimento e violência;

Defendemos as políticas não discriminatórias que promovam a inclusão social e protejam os direitos de todos e todas;

Somos contrários à destruição da Amazônia e das terras indígenas para a mineração e o agronegócio predatórios, aniquilando vidas humanas, culturas ancestrais e biodiversidade;

Defendemos a reforma agrária, a regularização e o cuidado com terras e territórios dos povos originários e tradicionais de indígenas, quilombolas, agricultores e agricultoras familiares, bem como a proteção da Amazônia e a revitalização da Caatinga, do Cerrado e do Pantanal;

Somos contrários à insubordinação à Constituição Federal e aos Poderes Constituídos, e à atuação do Poder Executivo que age permanentemente de forma a provocar retrocesso e violação aos direitos humanos.

Defendemos a Constituição Federal de 1988 e a formulação de políticas públicas que promovam os direitos humanos;

Somos contrários às intervenções nos órgãos de fiscalização para coibir investigações, quaisquer que sejam;

Defendemos a independência dos órgãos de fiscalização para promover investigações, nos termos da lei;

Somos contrários às políticas de redução de direitos trabalhistas, de aniquilação das representações sindicais, do achatamento salarial e da manutenção e ampliação da pobreza e da fome da nossa população;

Defendemos a liberdade de representação das categorias profissionais, a eliminação da fome, o respeito aos direitos conquistados e a recuperação da renda da parcela mais pobre da população brasileira;

Por fim, reiteramos nossa defesa incansável da promoção dos direitos humanos à água e ao esgotamento sanitário, com prioridade de acesso para as populações em processo de vulnerabilização na cidade e no campo.

Vamos escolher a democracia e a liberdade, a valorização da vida, a redução das desigualdades entre brasileiras e brasileiros, a não discriminação e o respeito ao meio ambiente.

Dia 30 de outubro, vamos votar certo, vamos votar pela democracia. Vamos votar Lula.

Coordenação do ONDAS

21/10 de 2022

 


Avatar