Há 5 anos, os irmãos Carlos e Bruno Cordeiro resolveram reunir os conhecimentos obtidos com a vivência profissional na indústria para tornar o sonho de empreender uma realidade. A aposta foi feita em uma matéria-prima abundante, perene, sustentável, limpa e bastante conhecida, apesar do potencial até então pouco explorado: o sol.

Carlos trabalhava para uma empresa fornecedora de equipamentos para hidrogeração, enquanto o irmão Bruno, engenheiro eletricista, atuava na área de projetos e manutenção de instalações elétricas. O resultado dessa união foi a criação da Cordeiro Energia, integradora de energia solar fotovoltaica especializada na construção de projetos e de usinas solares de microgeração e serviços de manutenção, com sede em Curvelo, região Central de Minas Gerais.

Os irmãos fazem parte de um ecossistema que tem crescido expressivamente em Minas Gerais – o de Energia – e que, neste ano, já alcançou um marco histórico: 7,15 GW de geração solar fotovoltaica em operação. Somente em 2023, houve um incremento de 2,6 GW de energia solar operacional no estado, o maior entre todas as unidades federativas. O avanço em 57,14% manteve Minas Gerais em primeiro lugar no ranking de crescimento na geração solar fotovoltaica.

Neste mês de dezembro, a geração centralizada solar em Minas registrou 3,81 GW de potência fiscalizada, enquanto a distribuída foi de 3,34 GW de potência instalada. A soma destes resultados leva o estado a mais um recorde na energia fotovoltaica. De toda a energia solar produzida no Brasil, 19,95% estão concentrados em Minas Gerais, segundo levantamento da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Em Montes Claros, no Norte de Minas, outro empresário que vem aproveitando o bom momento do mercado de energia mineiro é Kerley Batista Alves. Hoje sócio da Eternal Engenharia Ltda, que conta com um quadro de cem funcionários, Kerley deixou uma carreira estável para empreender no setor em 2014. Em 2015, já era responsável pela 1ª usina solar homologada no município.

“Minas tem apetite grande por energia; a gente percebeu que o pessoal tem usado muito a energia própria sendo gerada. Passou também a ter um consumo maior aqui no Norte de Minas, onde faz muito calor, porque as pessoas passaram a usar mais equipamentos como ar condicionado, além das padarias com a adoção de fornos elétricos, aumentando consideravelmente o consumo de energia”, explica Kerley Alves.

A empresa de Kerley é especializada em construção de grandes projetos e atua como investidora em usinas próprias. Atualmente, está construindo duas em cidades próximas a Belo Horizonte – totalizando oito obras em andamento no estado – e três fora de Minas: no Rio de Janeiro (2) e em São Paulo. Desde que iniciou na atividade, o empresário já ergueu 135 usinas, sendo 35 próprias.

Protagonismo em energia limpa

Proveniente das grandes centrais de produção de energia elétrica, a energia solar centralizada mantém Minas Gerais em primeiro lugar no ranking nacional, com cerca de 34% da produção no país.

A energia solar em operação de Minas corresponde a mais da metade da capacidade instalada total da Usina Hidrelétrica de Belo Monte – a maior usina hidrelétrica do Brasil e a quarta do mundo – e é capaz de atender mais de 2 milhões e 400 mil casas, em um consumo médio de 300 kw por residência.

Cenário energético

Minas Gerais lidera o setor de geração solar fotovoltaica no Brasil. Em relação à geração centralizada, 18% da matriz energética mineira corresponde à geração solar. Dessa forma, o estado representa 34% da capacidade instalada total brasileira. Já em geração distribuída, Minas compreende 13,4% do total de potência instalada, atrás somente de São Paulo, que detém 13,58% do total.

De janeiro a novembro deste ano, 1.816 MW de geração solar centralizada entraram em operação em Minas Gerais, nos municípios de Jaíba, Janaúba, Pirapora, Araxá, Varginha e Várzea da Palma. Ao mesmo tempo, 773 MW de geração distribuída entraram em operação em todo o estado.

Em Minas, 100% dos municípios possuem ao menos uma unidade de geração de energia solar fotovoltaica, no campo da geração centralizada mais 879 empreendimentos estão em fase de construção ou com construção não iniciada, sendo 852 de geração solar fotovoltaica.


Avatar