O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou nesta segunda-feira (24) um grupo de senadores a visitar na prisão o ex-diretor geral da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Silvinei Vasques.

A autorização vale para os senadores Damares Alves (Republicanos-DF), Eduardo Girão (Novo-CE), Esperidião Amin (PP-SC), Izalci Lucas (PL-DF), Zequinha Marinho (Podemos-PA), Jaime Bagatolli (PL-RO), Ciro Nogueira (PP-PI), Sérgio Moro (União Brasil-PAR), Marcos Pontes (PL-SP), Tereza Cristina (PP-MS), Jorge Seif (PL-SC), Plínio Valério (PSDB-AM), Cleiton Azevedo (Republicanos-MG), Hamilton Mourão (Republicanos-RS), Magno Malta (PL-ES) e para os senadores licenciados Luiz Carlos Heinze (PP-RS) e Rogério Marinho (PL-RN).

As visitas poderão ser feitas em blocos de até três congressistas por vez, sem a presença de assessores ou seguranças.

A ida ao presídio deve ser previamente agendada na Secretaria de Administração Penitenciária do Distrito Federal e seguir as regras da Vara de Execuções Penais.

É proibido, por exemplo, registrar imagens dentro das unidades prisionais.

Silvinei Vasques está preso desde 9 de agosto do ano passado no Complexo da Papuda, em Brasília.

O ex-diretor da PRF é investigado no inquérito das blitzs feitas pela corporação no dia do segundo turno das eleições presidenciais de 2022, em especial no Nordeste, com bloqueios em rodovias de cidades onde o então candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT) teria vantagem contra Jair Bolsonaro (PL).


Avatar

administrator

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *