Os sites dos principais jornais europeus repercutem nesta terça-feira (30) a operação da Polícia Federal que investiga a suposta existência de um esquema de espionagem ilegal durante o governo de Jair Bolsonaro. Esclarecer a atuação do vereador Carlos Bolsonaro, filho número 02 do ex-presidente, é um dos objetivos da PF.

“O clã Bolsonaro na mira da Justiça” é o título da reportagem publicada no site do jornal francês Le Monde, que destaca a suspeita de que a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) teria utilizado o software israelense First Mile para espionar centenas de políticos e personalidades públicas, a mando do ex-presidente de extrema direita e de seus filhos. O veículo destaca que a residência e o escritório de Carlos Bolsonaro no Rio de Janeiro foram vasculhados na segunda-feira (29).

O mandado de busca foi autorizado pelo ministro Alexandre de Moraes, que supostamente foi um dos alvos do esquema de espionagem ilegal da Abin. Um parecer do procurador-geral da República, Paulo Gonet Branco, considerou as buscas necessárias, depois de analisar mensagens de WhatsApp nas quais uma assessora de Carlos Bolsonaro pedia ao então diretor da agência, Alexandre Ramagem, “ajuda” nas investigações contra o ex-presidente e a família.

Carlos Bolsonaro é apontado nas investigações policiais como integrante do que é chamado de núcleo político do grupo, assimilado a uma organização criminosa atuante na Agência Brasileira de Inteligência, na época em que era dirigida pelo hoje deputado Alexandre Ramagem, de acordo com Gonet.

O site da emissora francesa France 24 destaca a entrevista concedida ontem pelo ex-presidente ao canal CNN Brasil. Bolsonaro negou o envolvimento dele e do filho no suposto esquema de espionagem. “Nunca busquei colher dados de quem quer que seja para me defender”, disse. “Nunca recebi informação, localização geográfica de quem quer que seja. Nunca precisei, pedi ou tive qualquer relatório da Abin”, afirmou.

“Abin paralela”

Segundo o site do jornal português Público, a PF quer esclarecer a atuação de uma suposta “Abin paralela”, que agia sob as ordens do clã Bolsonaro. O programa israelense First Mile teria colhido informações “sem autorização judicial” sobre cerca de 30 mil pessoas, indica o site do jornal espanhol El País.

A publicação também destaca a operação de busca e apreensão na casa de Bolsonaro em Angra dos Reis, no litoral do Rio, onde o ex-presidente e os filhos estariam reunidos desde o fim de semana. No entanto, quando os agentes da Polícia Federal chegaram, pela manhã, nenhum deles estava no local. Após rumores de que teriam fugido, o advogado da família, Fabio Wajngarten, indicou que Bolsonaro e os filhos haviam saído para pescar.

O correspondente do jornal britânico The Guardian no Rio, Tom Philipps, assina uma matéria em que avalia que os incidentes da segunda-feira distanciam ainda mais Bolsonaro de um futuro político. “No ano passado, ele foi proibido de concorrer à eleições até 2030 por disseminar fake news sobre o sistema eleitoral brasileiro”, diz o texto.

The Guardian afirma que “o populista de 68 anos” também é alvo de uma série de investigações sobre sua política nos anos em que esteve no poder, entre 2019 e 2022. O jornal cita o gerenciamento da epidemia de Covid-19 no Brasil, “que matou mais de 700 mil brasileiros”, além do papel de Bolsonaro no incitamento do motim de 8 de janeiro de 2023, quando admiradores do ex-presidente invadiram a sede do governo federal.


Avatar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *