O secretário do Conselho de Segurança da Rússia vê o objetivo dos EUA como o confronto com Moscou e Pequim, usando para isso Kiev e Taipé.

Os EUA acreditam que podem “lidar com a Rússia” para que possam enfrentar a China como o outro centro do mundo multipolar, é difícil discordar da posição da República Popular da China (RPC) sobre Taiwan, disse nesta quinta-feira (25) Nikolai Patrushev, secretário do Conselho de Segurança da Rússia.

É claro que eles [os EUA] estão interessados em enfraquecer a Rússia, não é só a Rússia que é um centro do mundo multipolar. A China também. […] Se eles acham que podem lidar com a Rússia, sua próxima tarefa, que é difícil para eles resolverem em paralelo, é a China”, disse Patrushev aos jornalistas após uma reunião de segurança internacional realizada sob os auspícios do Conselho de Segurança da Rússia.

O que eles estão fazendo agora na fronteira da China com Taiwan, nós também sabemos. Em geral, é difícil discordar de sua posição [da RPC] em relação a Taiwan“, acrescentou Patrushev.

Os EUA têm enviado armas e coordenado grandes partes das atividades militares de Kiev desde 2015, e particularmente desde o ano passado, aquando do começo da operação militar especial da Rússia na Ucrânia.

O Ministério das Relações Exteriores russo enviou então uma nota em que adverte que os suprimentos militares não facilitam a criação de uma resolução pacífica no conflito.

Já a China não reconhece a independência de Taiwan, que se separou do continente em 1949 após os nacionalistas terem perdido uma guerra civil e se refugiado na ilha. Pequim afirma que um dia ambos os lados do estreito de Taiwan serão unidos.


Avatar