Na última quarta-feira (19), o pastor, que faz parte da Igreja Batista da Lagoinha, em Belo Horizonte, postou na rede social uma gravação com uma suposta retratação pela divulgação de falsas acusações contra o ex-presidente Lula, candidato do PT à Presidência da República.

Ele afirmou que foi intimado pelo TSE a se declarar, mas, à reportagem do g1, o órgão negou a existência de uma decisão.

Dias atrás eu recebi em minha residência uma intimação do TSE, através do senhor Alexandre de Moraes, e eu venho me declarar, a partir dessa intimação, dizendo que o Lula não é a favor do aborto, Lula não é a favor da descriminalização das drogas, Lula não é a favor de liberar pequenos furtos. Os trombadinhas entrarão na sua casa, roubarão sua TV, roubarão seu celular, você correrá risco de vida e nada acontecerá com eles”, afirmou Valadão, balançando negativamente a cabeça.

O pastor ainda disse que “Lula não é a favor, literalmente, de colocar uma regulação da mídia, onde você vai perder o poder de expressar sua opinião, expressar o seu culto”.

É isso. Deus abençoe o Brasil”, falou Valadão, encerrando o vídeo.

Ao contrário do que foi dito por André Valadão durante a gravação, não houve determinação para que ele se retratasse e, sim, uma citação. O documento enviado ao pastor foi para que ele tivesse ciência do processo em que tem como requerente a Coligação Brasil da Esperança.

André foi intimado no dia 6 de outubro e teve um dia para apresentar resposta após tomar ciência do processo.

Além disso, a informação, também passada por André Valadão, que o documento foi assinado pelo presidente do TSE, o ministro Alexandre de Moraes, não procede.

O documento foi assinado pela ministra Maria Claudia Bucchianeri.

A reportagem tentou contato com o escritório de André Valadão, mas as ligações não foram atendidas.

Neymar teve publicação marcada com “informação falsa” ao repostar post de André Valadão.


Avatar