Informações de Contato

Belo Horizonte - MG

Atendimento

Com a chegada das férias escolares que trouxe junto a insegurança alimentar de muitas crianças que só comem na escola, o projeto “Comida que Abraça”, de Belo Horizonte, decidiu realizar uma campanha para arrecadar alimentos para famílias em situação de vulnerabilidade social.

A arrecadação começou depois que a líder comunitária da comunidade Helena Greco, no bairro Zilah Spósito, região Norte de Belo Horizonte avisou que com as férias que começaram na última segunda-feira (18) muitas crianças da comunidade estão passando fome. Com isso o projeto decidiu montar 200 cestas básicas, com 100 caixas de leite para distribuir para as famílias.

“É por causa da fome nas férias, crianças podem ficar sem realizar nenhuma refeição completa durante o recesso escolar. A merenda escolar é fundamental para garantir o acesso das crianças à alimentação, mas o benefício não vale nas férias. Nosso objetivo é ajudar a Comunidade Helena Greco em Belo Horizonte, com cestas básicas e meia caixa de leite para 200 famílias. Nossa campanha dura até sexta-feira agora. Até agora, já arrecadamos 12 kits de Cestas e Leite, faltam 188 famílias com fome. Ajude nosso projeto a bater a meta”, escreveram os organizadores do projeto.

Nesta quinta-feira (21) parte das cestas básicas começam a ser doadas, mas as doações podem ser feitas até esta sexta-feira (22).  Para quem quiser ajudar as doações podem ser feitas por PIX ou por transferência para a conta do projeto, veja:

Vamos combater a fome nas férias?

PIX no CNPJ: 43.043.804/0001-80
Dados para transferência:
Agência: 0001
Conta: 1454865-8
Instituição: 403 – Cora SCD
Nome da Empresa: Associação Comida Que Abraça
CNPJ: 43.043.804/0001-80

Insegurança alimentar

194 mil estudantes da rede pública ficarão sem a alimentação fornecida pelas instituições de ensino, o que é preocupante, principalmente no atual cenário, já que, pela primeira vez, mais de 100 mil famílias se encontram em extrema pobreza. Para garantir a alimentação das crianças e adolescentes, movimentos comunitários e instituições se mobilizam.

 


Avatar

editor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.