Os militares da Ucrânia disseram que abateram 13 drones “kamikaze” sobre a região sul de Mykolaiv durante a noite, de acordo com um comunicado no Telegram nesta quarta-feira (19).

“Durante a noite de 18 para 19 de outubro, o inimigo atacou a região de Mykolaiv duas vezes com drones kamikaze ‘Shahed-136″, dizia o comunicado das Forças Armadas. “Onze foram abatidos pela defesa aérea do comando aéreo “Sul”, mais dois – por soldados da Guarda Nacional da Ucrânia e do Serviço de Fronteiras do Estado da Ucrânia”.

A CNN não pode confirmar de forma independente as alegações dos militares ucranianos.
A Ucrânia vem enfrentando um amplo ataque à sua infraestrutura crítica e fontes de energia nesta semana envolvendo drones e mísseis de cruzeiro.

O que são drones “kamikaze”?

Ao contrário dos drones militares mais tradicionais, maiores e mais rápidos que retornam à base depois de lançar mísseis, os drones “kamikaze” são projetados para colidir com um alvo e explodir, detonando sua ogiva e destruindo os drones no processo.

Os militares ucranianos e a inteligência dos EUA dizem que a Rússia está usando drones de ataque feitos pelo Irã. Autoridades dos EUA disseram à CNN em julho que o Irã começou a exibir drones da série Shahed para a Rússia no aeródromo de Kashan, ao sul de Teerã, no mês anterior.

Em agosto, autoridades dos EUA disseram que a Rússia havia comprado esses drones e estava treinando suas forças para usá-los. De acordo com o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, a Rússia encomendou 2.400 drones Shahed-136 do Irã.


Avatar