As negociações com a Rússia só continuarão depois que armas avançadas chegarem de aliados ocidentais e a posição da Ucrânia for “fortalecida”, disse David Arakhamia, membro do grupo de negociação da Ucrânia com a Rússia.

“Até agora, não vejo razão para iniciar novas negociações”, disse Arakhamia na sexta-feira (3), “até que haja realmente alguma grande mudança na frente”.

Ele disse que a situação atual é “um passo à frente, dois passos para trás”, enquanto a Ucrânia tenta expulsar as forças russas das aldeias ocupadas e a Rússia assume novas áreas.“As negociações devem continuar quando nossa posição de negociação for fortalecida”, disse ele.

“E pode ser fortalecido agora”, afirmou ainda, quando o armamento “constantemente prometido a nós por parceiros internacionais… acabará chegando em quantidades suficientes”.

“As forças armadas estão prontas para usá-lo, novas brigadas já foram treinadas e formadas. E então podemos iniciar uma nova rodada de negociações com uma posição negocial intensificada”, acrescentou.