Informações de Contato

Belo Horizonte - MG

Atendimento

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, informou que a União Europeia (UE) irá banir voos, impor novas sanções a Belarus e proibir canais de propaganda russos. As medidas são uma retaliação ao governo do presidente Vladimir Putin, que nesta semana iniciou uma invasão contra o território da Ucrânia.

“Primeiro, estamos fechando o espaço aéreo da UE para aeronaves de propriedade russa, registradas na Rússia ou controladas pelo país. Elas não poderão pousar, decolar ou sobrevoar o território da União Europeia”, disse. “Incluindo os jatos particulares dos oligarcas”. Dessa forma, o espaço aéreo da União Europeia estará fechado para a Rússia.

Putin ordenou que seu comando militar coloque unidades que incluem armas nucleares em alerta máximo. Putin citou como argumento “declarações agressivas” de líderes da Otan e sanções econômicas contra Moscou.

“Como você pode ver, não só os países ocidentais tomam medidas hostis contra nosso país na dimensão econômica – quero dizer as sanções ilegais que todos conhecem muito bem –mas também os altos funcionários dos principais países da Otan se permitem fazer declarações agressivas ao nosso país”, disse Putin na televisão estatal.

Outra medida também será tomada pela União Europeia. Ursula declarou que as estatais russas Today e Sputnik, e suas subsidiárias, “não poderão mais espalhar suas mentiras para justificar a guerra de Putin”.

Zelensky confirma encontro com russos na fronteira de Belarus

Neste domingo (27), o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, confirmou um encontro para tratativas com a Rússia sobre a atual situação no país, que enfrenta ataques russos desde a última quinta-feira (24).

Segundo o vice-ministro do Interior da Ucrânia, Evgeny Yenin, as conversas entre as delegações ocorrerão na manhã desta segunda-feira (28), no horário local.

O gabinete de Zelensky informou que o presidente de Belarus, Aleksander Lukashenko, telefonou neste domingo a Zelensky. O encontro será na fronteira entre os dois países, nas proximidades do rio Pripyat.

“Os políticos concordaram que a delegação ucraniana se reunirá com a delegação russa sem pré-condições na fronteira da Ucrânia com Belarus, perto do rio Pripyat”, disse seu gabinete.

Segundo a Ucrânia, Lukashenko garantiu que os militares permanecerão em solo, sem atividades, durante a viagem da delegação, no momento da reunião e durante o retorno.

“Aleksander Lukashenko assumiu a responsabilidade de garantir que todos os aviões, helicópteros e mísseis estacionados no território bielorrusso permaneçam no solo durante a viagem, reunião e retorno da delegação ucraniana”, diz o gabinete.

Mais cedo, a Ucrânia recusou um convite para negociações com a Rússia em Belarus, mas afirmou que estava aberta ao diálogo.

Polícia russa prende mais de 2 mil manifestantes

A polícia deteve mais de 2 mil pessoas em protestos na Rússia contra a invasão à Ucrânia neste domingo (27). Segundo um grupo de monitoramentos de protestos, as manifestações foram registradas em 48 cidades de todo o país.

Desde o início da operação militar, mais de 5.500 foram presas, de acordo com o monitor OVD-Info, que há anos documenta repressão à oposição russa.

Dentre os presos, um repórter do canal de televisão independente Dozhd que não conseguiu convencer os policiais mostrando seu credenciamento e colete de imprensa.

Nos protestos em Moscou, o número de agentes de segurança frequentemente superava a quantidade de manifestantes.

Fonte: CNN Brasil


Avatar

editor