Informações de Contato

Belo Horizonte - MG

Atendimento

Reitores da UFMG, da PUC Minas e o bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte, dom Joaquim Giovani Mol Guimarães, assinaram um manifesto conjunto em defesa da Serra do Curral, em BH, nesta quarta-feira (18/5). Eles se colocam contra a projeto da Tamisa, que pretende explorar minério e vai devastar uma grande área da serra.

A liberação do projeto feita pelo Conselho de Política Ambiental (Copam) está sendo questionada na justiça. O governo de Romeu Zema defende a mineração. Além das universidades e da Arquidiocese de BH, já se manifestaram contra a mineração na serra ambientalistas, artistas, parlamentares federais e estaduais e a própria Prefeitura de Belo Horizonte.

O manifesto assinado pelos reitores das universidades destaca a “profunda preocupação” das instituições com “impactos não apenas ao meio ambiente, mas para a saúde, a qualidade de vida e demais dimensões da vida das comunidades em seu entorno.”

O texto cita a importância da Serra do Curral sob a regulação climática de BH, além dos riscos de desabastecimento de água, tendo em vista que a área projetada para o empreendimento interfere na Adutora do Taquaril, que é responsável pelo transporte de 70% da água tratada consumida pela população da capital.

São citadas também preocupações com a qualidade do ar de Belo Horizonte, a ameaça geológica de erosão do Pico Belo Horizonte, ao Parque das Mangabeiras e integrantes da Reserva da Biosfera da Serra do Espinhaço. Além disso, o manifesto relembra que a Serra do Curral já é tombada pelo município e pela federação, e que o processo de tombamento estadual está tramitando.

As instituições convocam a população para continuar mobilizada contra “este novo e qualquer outro ataque à Serra do Curral, entendendo que a agressão exploratória e destruidora contra esse grande patrimônio natural da identidade mineira pode trazer consequências para toda forma de vida na região e seu entorno”, finaliza o texto.

Atualmente, a defesa da Serra conta com o apoio da Prefeitura de Belo Horizonte, que entrou no último domingo (15/05) com pedido de tutela cautelar na justiça para o empreendimento. O projeto já foi licenciado pelos órgãos estaduais, utilizando pareceres antigos da Copasa sobre o impacto hídrico na região.

Na segunda-feira (16/5), artistas e ativistas sociais entregaram ao presidente da ALMG Agostinho Patrus (PSD) um manifesto assinado por mais de 700 artistas em defesa da Serra do Curral. O texto contou com assinatura de Milton Nascimento, Alessandra Negrini, Bruna Lombardi, Dira Paes, Paulo Betti e Gregório Duvivier.

 


Avatar

editor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.