Em dezembro passado, o volume de negócios entre a Rússia e o Brasil cresceu 80%, atingindo pela primeira vez US$ 1,6 bilhão (R$ 7,8 bilhões), de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O Brasil adquiriu da Rússia no final do ano passado bens em um valor total de 1,5 bilhão de dólares, que se tornou o maior volume de compras da história moderna.

A principal mercadoria de importação foram os derivados de petróleo, em um valor recorde de 1,1 bilhão de dólares (R$ 5,59 bilhões). Como resultado, Moscou se tornou o maior fornecedor desta commodity ao país sul-americano. Em segundo lugar, estão os EUA com 413,5 mil toneladas de produtos petrolíferos, os Países Baixos ficaram na terceira posição com 108,6 toneladas.

A estrutura das importações brasileiras da Rússia em dezembro também incluiu fertilizantes no valor de US$ 304,4 milhões (R$ 1,48 bilhão), ferro e aço em US$ 14 milhões (R$ 68 milhões) e urânio em US$ 10 milhões (R$ 48,8 milhões).

As exportações do Brasil para a Rússia caíram 17% para US$ 63,6 milhões (R$ 310,5 milhões).


Avatar