A deputada federal Carla Zambelli (PL) desistiu de convocar apoiadores para um ato em defesa de Deltan Dallagnol (Podemos) após ser chamada de traidora por bolsonaristas.

Carla Zambelli foi criticada por bolsonaristas por apoiar um ato organizado pelo MBL (Movimento Brasil Livre) a favor do deputado cassado Deltan Dallagnol.

O movimento não foi combinado com o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), que desautorizou a participação de aliados. Nas redes sociais, bolsonaristas taxaram Zambelli de “traíra“.

O ex-ministro e atual advogado de Bolsonaro, Fábio Wajngarten, foi um dos críticos. “Faz-se mais do que necessário avaliar quem esteve de fato ao lado do governo nos últimos 4 anos antes de sair apoiando e promovendo manifestação oportunista”.

Em vídeo em tom de retratação, Zambelli diz que não soube da opinião de Bolsonaro por estar de licença médica. “As pessoas sabem que sou fiel. Não preciso ficar provando isso todos os dias. Se o presidente acha que não devemos ir para as ruas, não vamos para as ruas”.

“Bolsonaro pediu para não fazer a manifestação. Não consultaram o Bolsonaro sobre uma data e erraram. Estão me chamando de traidora, mas sei que não sou. Se ele [Bolsonaro] falou para não ir, não vamos”.

Deputada Carla Zambelli nas redes sociais

“Não desistam do Deltan. Ver tanta gente esquecer dele, o cara que prendeu o Lula… Fico pensando quando for comigo. O que vocês vão fazer?'”, disse a deputada Carla Zambelli nas redes sociais.


Avatar