Informações de Contato

Belo Horizonte - MG

Atendimento

Por Geraldo Elísio (Repórter)

“A democracia morre na escuridão”, este versal do The Washington Post tem me chamado a atenção para o que acontece no mundo moderno. Fico a me indagar se a safra de pessoas inteligentes está em fase de extinção mundial e até onde isto nos levará. E indago a mim mesmo possíveis razões de tamanhos absurdos.

Países importantes no contexto mundial já começam a ver que as disputas econômicas e territoriais já atingem um ponto até agora classificado de muito perigoso. Será que somente agora se deram conta disto? E em face da constatação, irão continuar com tal processo ou existe uma perspectiva de bom senso?

Pelo andar da carruagem alguns “sábios” sem cérebros julgam possível fazer ascender a postos importantes cérebros inflados pela publicidade aliada à demolição de conceitos positivos visando um domínio subliminar dos mesmos. A falta de grandeza em sentido amplo abate as democracias.

O versal que motiva o comentário deste plano diz respeito diretamente aos Estados Unidos da América do Norte. Porém mesmo no Brasil dispomos de semelhante prisma. Afinal um militar de baixa patente se elegeu presidente da República, incensado por generais e os resultados desta inversão de valores é o que assistimos.

E o pior, com o aval bem explicitado no que diz respeito a tal quadro de um ex-comandante quatro estrelas que não teve o menor pejo de a ele se referir dizendo: “Você é o único do qual nos dispomos”. Convenhamos uma confissão de indigência incomoda quanto a vários aspectos intelectuais e morais.

Sendo mais claro. Um pecando por ver em um subalterno aos demais a grande saída. O outro aceitando implicitamente tal condição, com o dom de propiciar-lhe resolver recalques e, de quebra, abrir caminhos para conquistas nada honrosas, mas capaz de resolver problemas pessoais e caterva como vemos ocorrer.

O fato de eu ter me inspirado em um versal do The Washington Post é um indicativo de que a questão é bem mais generalizada do que pensamos. Restando no cenário brasileiro uma duvida; estamos morrendo no escuro ou já somos velados no breu?

A todas as pessoas citadas nesta matéria automaticamente é garantido o direito da resposta no espaço tamanho e corpo.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.