O presidente Lula (PT) subiu o tom e afirmou hoje que as ações de Israel no conflito em Gaza são “tão graves” quanto o ato terrorista do Hamas no início de outubro.

As críticas se dão após o governo brasileiro finalmente conseguir retirar o grupo de 32 brasileiros da Faixa de Gaza, após semanas de negociação. Segundo Lula, a ação dependia “da boa vontade de Israel”.

“A quantidade de mulheres e crianças que já morreram, de crianças desaparecidas, a gente não tem conhecimento em outra guerra. Depois do ato de terrorismo do Hamas, a solução do Estado de Israel é tão grave quanto foi o ato do Hamas, porque eles estão matando inocentes sem nenhum critério”, disse Lula.

Lula tem sido uma das principais vozes internacionais a pedir por um cessar-fogo para a retirada de civis do local. Na proposta brasileira enviada ao Conselho de Segurança da ONU (Organização das Nações Unidas), vetada pelos Estados Unidos, o Brasil propunha ainda a criação de um corredor humanitário para a saída de pessoas.

Israel “joga bomba onde tem criança, onde tem hospital, a pretexto de que um terrorista está lá, não tem explicação”, disse Lula. “Primeiro, vamos salvar as crianças, as mulheres, aí depois faz a briga por quem quiser fazer.”

Ele comemorou o sucesso da operação de repatriação dos brasileiros que estavam retidos em Gaza. Depois de um impasse que já durava mais de um mês, grupo já está no avião e deve pousar na noite de hoje em Brasília.

“Dependia da boa vontade de Israel, de uma quantidade de pessoas que a gente nem sabia. Agora, vamos ver se ainda tem gente na Cisjordânia que queira vir. […] Nós não vamos deixar nenhum brasileiro ou brasileira lá se ele quiser voltar. Nós vamos ter que encontrar soluções para trazer. Hoje é um dia de festa”, afirmou Lula, sobre brasileiros repatriados.

Mais cedo, Lula afirmou que irá pessoalmente receber os repatriados nesta noite na base aérea de Brasília. Lula cedeu o avião presidencial, que já partiu do Cairo, no Egito, para a retirada dos brasileiros.

Mais de 11 mil pessoas já morreram na guerra que começou em 7 de outubro.


Avatar