O primeiro caso de varíola dos macacos em idosos em Minas foi confirmado em Belo Horizonte, na manhã desta sexta-feira (19). Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, o paciente é um homem de 61 anos.

Conforme o balanço, até o momento, foram confirmados 106 casos de Monkeypox na capital mineira. São todos pacientes do sexo masculino, com idades entre 22 e 61 anos. Há ainda um óbito confirmado na cidade. Trata-se de um paciente, de 41 anos, que estava em acompanhamento hospitalar para monitoramento de outras condições clínicas graves e morreu em 28 de julho.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, os pacientes são monitorados pelas autoridades de Saúde, com quadro de saúde de todos eles considerado estável.

“O Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS) realiza um trabalho de monitoramento continuado para acompanhar suspeitas da doença. Todos os casos confirmados estão sendo acompanhados, assim como os contactantes”, afirmou a pasta.

A pasta ressalta ainda que a doença pode ser transmitida através de contato com fluidos corporais, secreções respiratórias, lesões na pele ou mucosas de pessoas infectadas. Há também o risco de contaminação pela utilização de materiais contaminados, como toalhas, roupas de cama e utensílios domésticos contaminados.

“Em caso de sintomas como febre, dores musculares e lesões na pele, procure uma unidade de saúde”, acrescentou.

Em Minas

Minas já contabiliza 159 casos de Varíola dos Macacos, de acordo com a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG). Os exames foram confirmados pela Fundação Ezequiel Dias (Funed).

Desses, há um caso confirmado do sexo feminino. A paciente de 26 anos, está em puerpério e em monitoramento domiciliar. O restante dos casos confirmados é do sexo masculino, com idade entre 21 e 61 anos.

“Um paciente confirmado para Monkeypox encontra-se em internação hospitalar por necessidades clínicas”, informou a pasta. Até o momento, 360 casos já foram descartados e 542 estão em investigação.