Geraldo Elísio (Repórter)

Bolsonaro, o Bravo – desembarcou em território russo usando a máscara anti-convid que no Brasil ele faz questão de desprezar. Além do mais, por exigência das autoridades moscovitas teve de se submeter a dois exames contra a peste que assola o mundo e, além do mais, deve ficar em confinamento em seu hotel até se encontrar com o líder Vladimir Putin.

Autoritarismo russo? Óbvio que não! Se ele se recusar a cumprir as determinações locais, o seu retorno ao Brasil não sofrerá restrições além de não poder se avistar com Putin. O Itamaraty está trabalhando no sentido de que tais determinações sejam suspensas, contudo não é tarefa fácil.

Toda a questão se centraliza em normas de segurança, principalmente no caso específico, serem elaboradas exatamente para serem cumpridas e não desafiadas por valentões de filmes cowboys de terceira categoria. Em momento algum o dito presidente brasileiro será desrespeitado, Entretanto não poderá como é costume dele desrespeitar ninguém.

Ele levou uma comitiva de militares brasileiros a compor o seu escalão superior de governo, porém é anunciado que durante o encontro dele com o mandatário russo somente estarão presentes Vladimir Putin e ele, de quem se espera no mínimo juízo para não envergonhar a diplomacia brasileira, respeitada internacionalmente desde o Barão do Rio Branco.

Só o medo de eventuais gafes é revelador do despreparo do governante brasileiro para ocupar o posto que atualmente lhe cabe. No caso em tela sem poder contar com Helenos e Bragas Netos da vida.

Alguém, não sei quem, inadvertidamente já promoveu a primeira gafe, anunciando ao mundo que o insignificante Bozo evitou a deflagração da Terceira Guerra mundial e, no exercício do pleno puxa-saquismo ousou levantar a hipótese de ser ele merecedor do Prêmio Nobel da Paz.

Não duvido que a reação de Putin no caso ucraniano deixou alguns dirigentes partidários largados a uma gelada – sempre o inverno russo – mas desacredito que os envoltos, em hipótese alguma, pagariam o altíssimo preço de entregar a missão desabafa a um Bozo qualquer.

Ele é atrevido mas provou ter juízo. Claro que participará de banquetes aos olhos do mundo, porém duvido que ele ou alguém da comitiva solicite farofa a constar do cardápio , dando oportunidade a qualquer um dos filhos dele de posar de cineasta a dirigir uma ópera bufa com resultados cujos tiros saíram pela culatra tentando ganhar moral junto aos nossos irmãos nordestino.

A todas as pessoas citadas nesta matéria automaticamente é garantido o direito da resposta no espaço tamanho e corpo.