As rodovias mineiras ainda apresentam 44 pontos de concentração e interdições parciais causadas por manifestantes e caminhoneiros apoiadores do presidente Jair Bolsonaro contrários à eleição de Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Motoristas reclamam de prejuízos e atrasos.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), os pontos de interdição parciais ainda persistem em sete estradas federais. A Polícia Militar Rodoviária atualizou listagem com 38 trechos com interdições parciais (Confira a lista).

A rodovia BR-040 chegou a ter cinco pontos de bloqueio na manhã desta quarta-feira (02/11), sendo a estrada com mais interrupções de tráfego por manifestantes, mas apenas o trecho do KM700, em Barbacena, persiste, segundo a PRF.

O caminhoneiro Thiago Adonias, de 36 anos, ficou parado na BR-040, em um bloqueio no KM617, em Congonhas, desde a noite de segunda-feira (31/10). Ele disse ser contra o movimento de fechamento das vias. O local foi liberado por volta de 9h30 desta quarta-feira. O congestionamento chegou a cinco quilômetros nos sentidos Rio de Janeiro e Brasília.

Sou contrário. Não sei o que estão manifestando até agora. Não têm motivo. Eles queriam era fazer bagunça igual eles fizeram. Prejudicaram a mim e a milhares de pessoas. É humilhante você ficar parado em um lugar onde não tem sequer um banheiro para você tomar um banho ou fazer nada. Minha mercadoria é perecível, vamos ver o que salva até chegar no Rio de Janeiro”, disse.


Avatar