Informações de Contato

Belo Horizonte - MG

Atendimento

Pré-candidato ao Executivo estadual pelo PSDB, Marcus Pestana afirmou que Romeu Zema, que busca a reeleição, não tem “estatura” para ser governador de Minas Gerais. As declarações foram dadas em entrevista ao Hoje em Dia, nesta terça-feira (26).

“Eu não acho que o Zema tem talento para ser governador de Minas. Este é o estado de Tancredo Neves, Juscelino Kubitschek e Itamar Franco. O Zema não tem estatura. A cadeira é muito maior do que ele. Ele não tem o menor jeito. Ele não entende o mecanismo”, afirmou.

Na entrevista, Pestana também afirmou que o atual governador, Romeu Zema, e o ex-prefeito de Belo Horizonte Alexandre Kalil, que lideram as pesquisas de intenção de voto para o governo de Minas, têm “revelado incapacidade para diálogo”.

“A chamada nova política, que surgiu no tsunami de 2018. O Zema e o Kalil são frutos da mesma árvore. Eles vieram em nome da antipolítica. Eles misturam corrupção com política. Eu não. Sou dos que acreditam que a política é o grande instrumento de mudança do mundo e da realidade em um país tão desigual como nosso”, afirmou.

O tucano acusou, ainda, o Novo de ser “arrogante e inexperiente” e disse que o partido já pensa na candidatura de Zema à presidência da República em 2022. “Eles estão com pressuposto falso de que o Zema já ganhou e já estão disputando 2026, imaginando que o Zema será candidato a presidente. E eles não querem perder o controle do governo”, afirmou.

‘Estamos sobre um paiol’

Marcus Pestana afirmou também que o governador Romeu Zema ilude os eleitores quando afirma que as contas mineiras estão sob controle. “É uma ilusão. Estamos sobre um paiol”, disse.

Respondendo a questionamentos do jornalista Carlos Lindenberg, Marcus Pestana lembrou que Minas tem nota “D” na avaliação de desempenho e índices do Tesouro Nacional, responsável por analisar as contas e a qualidade dos dados contábeis enviados pelos estados.

“Temos um buraco de R$ 10 bilhões por ano (nas contas do Estado); uma dívida de R$ 36 bilhões com a União, que está pendurada, mas que uma hora teremos que pagar e, para negociar, precisaremos saber dialogar”, disse o candidato do PSDB.

Pestana falou ainda que a tarefa principal de seu governo é arrumar as contas mineiras e ter recursos para investir. “Precisamos de boas ideias, capacidade gerencial e dinheiro. Sem dinheiro, boas ideias viram poesia”, afirmou.

Segundo o candidato, Minas vive um momento de “folga fiscal” por causa da inflação e da pandemia. Ele destacou que o dinheiro disponível para investimento no Estado, atualmente, vem do acordo de reparação feito com a mineradora Vale, em virtude do rompimento da barragem em Brumadinho, em 2019. “Precisamos de alternativas ou iremos viver de tragédia”, disse Marcus Pestana.


Avatar

editor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.