Informações de Contato

Belo Horizonte - MG

Atendimento

O presidente do Superior Tribunal Militar, Luís Carlos Gomes Mattos, disse nesta quarta-feira (27) que a Justiça Militar não deve se envolver nas eleições deste ano. O general concedeu uma entrevista coletiva durante a cerimônia em que se despedia da Corte.

Gomes Mattos afirmou que cuidar de eleições compete apenas à Justiça Eleitoral. Ele vai se aposentar compulsoriamente ao completar 75 anos.

“Nós temos uma Justiça Eleitoral, e ela é a responsável pelo funcionamento real daquilo [eleições]. Nossa missão é diferente, não temos que nos envolver. Temos que garantir que o processo seja legítimo e tudo. Essa é a missão das Forças Armadas.”

Questionado sobre a preocupação com a violência política durante o período eleitoral, Gomes Mattos afirmou que o fenômeno “é do nosso país, é do mundo”.

O general reforçou ainda que os militares “vão atuar dentro daquilo que está previsto para garantir que aquele processo [eleitoral] seja legítimo, e realmente que tenha respaldo popular”.


Paola Tito

editor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.