O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, descartou a possibilidade de uma quarta onda da Covid-19 no Brasil. Além disso, o chefe da pasta federal criticou médicos que têm feito alertas sobre o aumento de casos da doença. Em Minas e na capital mineiras, as notificações dispararam.

Para Queiroga, há “anticristos por aí apregoando uma quarta onda da Covid-19, enquanto a média de óbitos cai”. “Eles já haviam dito o mesmo com a (chegada da variante) Delta; que teríamos um colapso. Cadê o colapso? Agora vêm de novo a mesma narrativa”, acrescentou.

O ministro participou nesta terça-feira (7) do lançamento dos Painéis Dinâmicos do Sistema de Mapeamento de Educação na Saúde (Simapes), mecanismo de coleta de dados e de integração visando mapeamento, monitoramento e avaliação da capacidade instalada no Sistema Único de Saúde (SUS) no processo de formação de profissionais da saúde.

“Não há sistema de saúde sem recursos humanos”, disse o ministro ao acrescentar que “o profissional de saúde não existe para si mesmo, mas para implementar políticas públicas do interesse da sociedade”.

Neste sentido, o ministro destacou a necessidade de diagnósticos sempre corretos. “E não há diagnóstico correto sem dados”, complementou ao defender ferramentas de comunicação a distância para levar a expertise das universidades mais adiante, em direção ao interior do país.