Informações de Contato

Belo Horizonte - MG

Atendimento

O Atlético tinha tudo para vencer o Corinthians na noite deste domingo (24), no Mineirão, mas não conseguiu. A torcida alvinegra, mais confiante após a demissão de Antonio Turco Mohamed, esgotou os ingressos e lotou o Gigante, esperando a virada de chave. Só que a reviravolta aconteceu para o time paulista, que começou perdendo e saiu com a vitória com dois gols de Fábio Santos, ex-Galo.

Keno conseguiu abrir o placar para o Atlético no início de jogo, mas o lateral-esquerdo do Corinthians balançou as redes duas vezes dentro de seis minutos, impedindo a vitória alvinegra dentro de casa.

O jogo

O Galo conseguiu abrir o placar logo nos primeiros minutos de jogo, o que foi excelente, já que o Corinthians tinha entrado em campo fazendo aquela pressão inicial. Aos dois minutos, Guilherme Arana bobeou na marcação e ficou para trás. Adson teve a chance de finalizar de fora da área e bateu forte, mas para fora. Aos quatro, outra chance do time paulista abrir o placar.

Hulk, atacante alvinegro poupado contra o Cuiabá no meio de semana, voltou ao time titular e teve uma chance de balançar as redes aos seis minutos de falta, mas o goleiro estreante da noite, Carlos Miguel, segurou. Cássio, titular da posição, ficou em São Paulo reclamando de dores.

O golaço de Keno

No lance seguinte, o alto jovem goleiro não teve a mesma sorte. Keno, que não era titular pelo Atlético há quase um mês, chutou bonito de fora da área. Carlos Miguel, que tem 2,03 m, se esticou todo, mas não conseguiu evitar que a bola alcançasse o ângulo. A torcida alvinegra que lotou o Mineirão foi à loucura com o belo gol de Keno.

Após o gol alvinegro, o jogo até deu uma esfriada. A bola que poucopassava pelo pé do Corinthians, ficou mais bem distribuída, com as equipes tentando trocar passes, mas com alguns erros. Matias Zaracho e Hulk tiveram boas oportunidades já nos minutos finais do primeiro tempo, mas sem sucesso.

Atuação da arbitragem

Entrando nos acréscimos, o clima esquentou. O árbitro de campo Ramon Abatti Abel, que deixa muitas faltas passarem para o jogo correr, parou um lance em que Nacho Fernández ia recuperar a posse de bola para o Galo. Isso porque o juiz acabou entrando na frente de Yuri Alberto, que receberia o passe. O atacante corintiano reclamou e Ramon Abatti deu bola ao chão para o Corinthians.

Nacho e outros jogadores do Galo reclamaram bastante da atitude do juiz. Sobrou para o meia argentino, que foi amarelado. A torcida, que já vem na bronca com a arbitragem há alguns jogos, xingou. No lance seguinte, Yuri também levou cartão amarelo, só que por falta dura em Nacho. Depois, o primeiro tempo acabou, bom para acalmar os ânimos no vestiário.

Segundo tempo

Comandado por Lucas Gonçalves, o Galo voltou do intervalo acomodado no resultado do primeiro tempo. Com isso, ficou menos com a bola, teve dificuldades para atacar e usava os contra-ataques para criar oportunidades. Em um lance assim, aos 23 minutos, Hulk sofreu uma falta, quando saía em velocidade pelo lado esquerdo. Nacho foi para a cobrança, chutou direto pro gol, mas Carlos Miguel defendeu.

Quando Pedrinho, reforço do Galo nesta janela de transferências, entrou em campo, parecia que o jogo ia mudar, que o time ia conseguir trabalhar mais a bola no meio-campo. Só que não aconteceu. Sem matar o jogo, o Atlético sofreu o empate aos 34, Fábio Santos, ex-jogador alvinegro fez. De cabeça, o lateral-esquerdo empurrou contra o gol de Everson, sem chance para defesa.

Já na sequência, Giovane é derrubado na área por Junior Alonso. No campo, o árbitro manda seguir. O VAR chama, Ramon Abatti revisa o lance e marca a penalidade para o Corinthians. Outra vez. Fábio Santos, ex-Galo, balançou as redes e virou para o time paulista.


Paola Tito

editor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.