Uma declaração do presidente Jair Bolsonaro (PL) em uma entrevista a um podcast nesta sexta-feira (14) em que ele usa a expressão “pintou um clima” para se referir a adolescentes venezuelanas viralizou e causou indignação nas redes sociais.

“Parei a moto numa esquina, tirei o capacete e olhei umas menininhas, três, quatro, bonitas; de 14, 15 anos, arrumadinhas num sábado numa comunidade. E vi que eram meio parecidas. Pintou um clima, voltei, ‘posso entrar na tua casa?’ Entrei. Tinha umas 15, 20 meninas, [num] sábado de manhã, se arrumando —todas venezuelanas. E eu pergunto: meninas bonitinhas, 14, 15 anos se arrumando num sábado para quê? Ganhar a vida. Você quer isso para a tua filha, que está nos ouvindo aqui agora. E como chegou neste ponto? Escolhas erradas”, disse.

Bolsonaro estava explorando uma temática recorrente de sua campanha —o suposto risco de o Brasil “virar uma Venezuela” caso o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) retorne ao poder— quando relatou um encontro que teve com meninas do país vizinho em São Sebastião, na periferia do Distrito Federal.

Uma das venezuelanas visitadas pelo candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL) em São Sebastião, região administrativa do Distrito Federal, em 2021, rechaçou a fala do presidente sobre ter encontrado adolescentes vindas da Venezuela “arrumadas para ganhar a vida”, insinuando prostituição infantil.

A declaração do presidente foi dada a um podcast na sexta-feira (14), quando também se referiu ao encontro dizendo que “pintou um clima”. Segundo a mulher, no dia em que Bolsonaro fez a visita, estava acontecendo uma ação social para refugiados no local.

Não tem nada a ver com o que ele está falando agora”, diz a venezuelana, que pediu para ter seu nome preservado, pois teme retaliação. O UOL confirmou que ela estava no local no dia da visita do presidente.

Esse dia foi uma ação que acontecia na casa. Uma brasileira que fazia curso de estética vinha até aqui para fazer a prática do que estava aprendendo, de corte de cabelo, design de sobrancelha. Então, nós reuníamos um grupo de mulheres e era isso o que acontecia naquele dia“, disse a mulher venezuelana que estava durante visita de Bolsonaro em São Sebastião.

Ainda de acordo com a mulher, havia adolescentes na casa naquele dia, entre elas, sua filha e sua sobrinha.

O encontro de Bolsonaro com venezuelanas em São Sebastião foi transmitido, na época, por redes sociais. Nas imagens, é possível ver que Bolsonaro conversa com as mulheres, algumas com máscara de proteção contra a covid-19 e algumas de rosto descoberto.

Na ocasião, o presidente falou contra o isolamento social para combater a pandemia e conversou com sobre as dificuldades na Venezuela. Se Bolsonaro suspeitou de prostituição infantil no local, não fez qualquer menção a isso durante a visita, nem sequer se mostrou desconfortável com qualquer situação.
.
O trecho da fala sobre “pintar um clima” com menores de idade viralizou neste sábado (15) e chegou aos Trending Topics do Twitter –lista dos assuntos mais comentados na rede social. Somados, os termos “pintou um clima“, “Bolsonaro pedófilo” e “Bolsonaro pervertido” chegaram a somar quase 90 mil menções no Twitter.

O senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) usou as redes para defender o pai. “Pegou uma fala mal colocada do presidente para lhe imputar uma fake news nojenta! Um pai com uma filha e duas netas! Bolsonaro sempre foi um ferrenho combatente da pedofilia”.

Enquanto o vídeo viralizava, Damares Alves, eleita senadora pelo Distrito Federal, fazia campanha ao lado da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, em outros estados do Nordeste.

Nos eventos chamados “Mulheres com Bolsonaro”, a atual senadora mandou um recado específico para os pedófilos e reforçou que Bolsonaro equipou Conselhos Tutelares para proteger as crianças. “Você que é mãe, que é avó, que gosta de crianças: Bolsonaro precisa ser reeleito”, disse em um discurso na Paraíba.


Avatar