O Federal Reserve (Fed) elevou nesta quarta-feira (2) a taxa de juros dos EUA em 0,75 ponto percentual pela quarta vez consecutiva. Com isso, os juros norte-americanos passam a um intervalo de 3,75% a 4% ao ano.

O aperto monetário de maior intensidade é uma ofensiva do Fed para tentar controlar a inflação, que está assolando a economia do país há meses. Devido aos sucessivos aumentos de três quartos de ponto percentual, que começaram a partir de 15 de junho, a taxa de juros nos EUA atingiu seu maior nível desde janeiro de 2008.

A nova elevação já esperada pelo mercado. Segundo a plataforma CME Fedwatch, cerca de 90% dos investidores apostavam em um aumento de 0,75 p.p., enquanto o restante mantinha a esperança de um choque menor, de 0,50 p.p.

Em comunicado, o Comitê Federal de Mercado Aberto do Fed (Fomc) destacou a intenção de trazer a inflação, que atualmente está em 8,2% ao ano, para próximo da meta de 2%.

A inflação permanece elevada, refletindo desequilíbrios de oferta e demanda relacionados à pandemia, preços de energia e pressões de preços mais amplas”, afirmou o Comitê.

A guerra da Rússia contra a Ucrânia está causando enormes dificuldades humanas e econômicas, criando uma pressão adicional sobre a inflação e pesando sobre a atividade econômica mundial. O Comitê está altamente atento aos riscos inflacionários”, acrescentou.


Avatar