A cantora Marilene Galvão, da dupla As Galvão, morreu na tarde desta quarta-feira, aos 80 anos, em São Paulo. A informação foi confirmada pelo fã-clube oficial da parceria que a artista tinha com a irmã, Mary. A causa da morte não foi divulgada. A sertaneja sofria de Alzheimer, condição que levou ao fim da dupla, em junho do ano passado, após 74 anos de carreira.

“É com grande pesar que, através dessa mensagem, comunicamos o falecimento, às 14h30, em São Paulo, da nossa rainha soberana Marilene Galvão. Em breve, traremos mais notícias. Para agora, contamos com as orações e apoio de vocês! Nós cremos na ressurreição e acreditamos que nossa menina descansou, e em um bom lugar desfrutará do seu descanso”, diz a nota publicada no Instagram.

O corpo da sertaneja será velado em cerimônia na Câmara Municipal de Paraguaçu Paulista, sua cidade natal, e sepultado no Distrito de Sapezal, segundo informações do “Jornal Nacional”, da TV Globo.

Relembra a carreira de Marilene

Nascida na cidade de Palmital, São Paulo, em 1942, Marilene Galvão se juntou à irmã, Mary, para formar uma das duplas sertanejas de maior tempo em atividade no país. Com 80 álbuns lançados, As Galvão também foram sinônimo de pioneirismo como duas das primeiras mulheres a ter destaque em gênero musical dominado por homens até a estreia delas, em 1947.

Marilene tocava viola e Mary acompanhava com a safona, enquanto as duas se uniam para cantar as modas caipiras. Um dos grandes sucessos da dupla foi a canção “Beijinho Doce”, gravada originalmente pelas Irmãs Castro e que ganhou ainda mais destaque com a novela

“A Favorita” (2008), da TV Globo. Na trama, que está em reprise no “Vale a Pena Ver de Novo”, Flora (Patrícia Pillar) e Donatela (Claudia Raia) tinham a música como o maior hit da dupla fictícia Faísca e Espoleta.

Em 2021, Mary foi entrevistada por André Piunti, quando anunciou oficialmente o fim da dupla. A cantora, hoje com 83 anos, explicou que o quadro de Alzheimer de Marilene era avançado e, por isso, a irmã mais nova havia perdido a memória totalmente.

“Amo muito a minha irmã, muito, muito. Vou sempre visitá-la. Um amor muito grande, por tudo o que nós passamos juntas, sempre uma dando apoio para a outra. Esse amor não vai acabar, não. Infelizmente não lembra mais as letras, não lembra mais nada. É muito triste”, desabafou Mary, na ocasião.


Paola Tito