O Partido dos Trabalhadores (PT) rebateu nesta segunda-feira (26) o presidente da Argentina, Javier Milei, que ontem (25) retuitou ataques ao mandatário Luiz Inácio Lula da Silva.

Uma das mensagens republicadas pelo líder ultraliberal nas redes sociais diz que o ato convocado pelo ex-presidente Jair Bolsonaro na Avenida Paulista foi uma forma de “resistência contra a ditadura de Lula da Silva”.

“Javier Milei faz molecagem nas redes sociais divulgando mentiras de bolsonaristas sobre Lula. Falar em ditadura no Brasil é total irresponsabilidade, mais grave ainda se é reproduzida pelo presidente do país vizinho, amigo e parceiro comercial”, escreveu a deputada Gleisi Hoffmann, presidente do PT.

“Milei devia cuidar primeiro de resolver os graves problemas do povo da Argentina. Foi eleito para isso, mas prefere ofender Lula e perseguir estudantes brasileiros em seu país”, acrescentou.

Milei participou no fim de semana, em Washington, da Conferência de Ação Política Conservadora (Cpac), junto com o ex-presidente americano Donald Trump e o deputado Eduardo Bolsonaro (PL).

O ex-mandatário Bolsonaro também foi convidado para o evento, mas não pôde viajar devido à apreensão de seu passaporte determinada pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).


Avatar